A Internet para os cães, e os carros e as coisas

Na sua estreia no Futuro Hoje o Fox testou, com sucesso o localizador para a coleira. Na reportagem há mais um colaborador novo, consegue detectar? É preciso ver o vídeo. IoT
Na sua estreia no Futuro Hoje o Fox testou, com sucesso o localizador para a coleira. Na reportagem há mais um colaborador novo, consegue detectar? É preciso ver o vídeo.

IoT é uma das expressões da moda. Não dá jeito nenhum nem em português nem em inglês, mas quer dizer Internet of Things, Internet das Coisas ou na verdade, coisas ligadas à Internet que já dá uma boa definição do que estamos a falar.

Os nossos telefones são uma espécie de posto de escuta com o nosso som, vídeo, fotos, localização, mas têm também dados como a nossa velocidade ou até a temperatura, a inclinação do aparelho, enfim sensores que nunca mais acabam e que em muitos casos transmitem informação. Esperamos nós que para o nosso bem.

Polémicas sobre os nossos dados à parte a verdade é que ganhamos muito quando queremos atravessar a cidade evitando os engarrafamentos, ir diretos a uma empresa sem nos preocuparmos sequer com a morada, saber se precisamos de guarda chuva mais logo ou ter a certeza que está tudo bem lá em casa quando vamos de férias. Podia ficar aqui e fazer páginas e páginas de listas de coisas que dependem de sensores que andam connosco e dos sensores dos outros e das outras coisas que fornecem os dados para que tenhamos a informação de precisamos, ou que nos habituámos a ter.

Um dos problemas de muitas destas coisas, no caso concreto um localizador numa coleira de cão ou na mochila, uma câmara de vigilância que pode ser colocada em qualquer local ou um forma de saber o que se passa quando estamos longe do carro é que dependem da disponibilidade de rede. O outro problema é a bateria e esse ainda não está muito bem resolvido. Mas quanto à rede haverá em breve muitos milhões de pequenos aparelhos ligados às redes de telemóvel para poderem transmitir dados pelo menos nas vastas zonas de cobertura do operadores.

Claro que não estamos dispostos a pagar uma assinatura de telemóvel por cada um  destes aparelhos. A Vodafone lança assim um adicional à assinatura que permite por exemplo saber sempre onde está o cão pagando 4,5€. Custo fixo mensal independentemente do uso. É um passo fundamental para o funcionamento da IoT. Outros virão, a começar por preços muito mais baixos e pela rede 5G com mais capacidade e adaptada a estes novos milhões de chips ligados. Portanto, nesta reportagem, os aparelhos são interessantes mas o mais importante e novo é mesmo o serviço.

Veja a reportagem do Futuro Hoje AQUI

  • Subscrever Blog via email

    Indique o seu endereço de email para subscrever este site e receber notificações de novos artigos por email.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *