Uma visão do Futuro Hoje que levou mais de um ano a concretizar

 

Hololens, esta poderá ser uma aproximação à televisão do futuro?
Hololens, esta poderá ser uma aproximação à televisão do futuro?

Eu e o João Almeida da Microsoft criámos o sonho de reproduzir o que tínhamos visto lá fora. Vídeos em que uma câmara mostra ao mesmo tempo a pessoa que usa uns Hololens e interage com objetos virtuais, a realidade que a rodeia e os objetos virtuais que são manipulados em tempo real. Claro que isto teria que ser incluído no âmbito de uma reportagem sobre realidade aumentada e o seu uso, mas a verdade é que foi o nosso desafio a nossa motivação, a que ainda espero poder dar continuidade.

Visto em TV parece simples, mas é um bruxedo que implica muitos conhecimentos. Muito saber que o João teve que adquirir para juntar com o que alguns de nós temos na SIC. Foi necessário imprimir peças em 3D, foi preciso juntar várias empresas, a Microsoft, a SIC, a IT People, a EDP e a NOS. Muita gente envolvida, em vários departamentos de cada uma destas empresas, e todos porque gostaram da ideia e deram o seu tempo para este projecto. Mas porque foi praticamente uma espécie de voluntariado de gente muito ocupada, foi extremamente difícil conciliar datas e locais. Ainda por cima eu queria cenários simples como o interior de uma barragem, estão a ver? Três dias de testes para conseguir um de filmagens. Uma aventura.

 

Há muito trabalho e muita tecnologia para que a segunda imagem seja possível, sem manipulação posterior.

Não cansar quem está desse lado é uma regra, por muito trabalhoso que por vezes possa ser mostrar a realidade. Não se pode cansar o espectador, e o nosso trabalho não deve ser notícia. Mas como estamos aqui neste espaço quase pessoal vou confessar. Quase desisti. Nunca estive tanto tempo com um Futuro Hoje em mão, foi bem mais de um ano. Claro que fiz muito outros ao mesmo tempo, ninguém ficou parado. E se desabafo aqui é porque é também uma oportunidade de agradecer a todos os que tornaram possível esta reportagem, incluindo todos os que lá aparecem ou têm o nome mas não esquecendo todos os outros que a tornaram possível.

Acho mesmo, desculpem a gabarolice, que é um daqueles casos em que felizmente, não se vê o trabalho que está por trás, senão ninguém a veria, e assim acho eu que se vê até muito bem. Podem julgar aqui …

Veja o vídeo aqui

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *